Busca Notícias - Seu Portal de Notícias Online | Veja as primeiras Notícias

Jovem desaparecida há 8 dias é encontrada enterrada em cova rasa no PR

 Eduarda Batista Stadler estava desaparecida desde o dia 20 de setembro

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O corpo de uma jovem de 18 anos, que estava desaparecida há oito dias, foi encontrado com marcas de tiros e enterrado em uma cova rasa na tarde de quinta-feira (28), em Ponta Grossa (PR).

Eduarda Batista Stadler estava desaparecida desde o dia 20 de setembro, quando teria saído de casa para comprar um lanche com um amigo. A família não sabe quem seria o amigo que a acompanhou. Ela era moradora do bairro Vila Nova.

O corpo foi encontrado após agentes da Polícia Militar sentirem um odor característico de putrefação na Estrada do Kalinoski, segundo o boletim de ocorrência. Às margens da via, os PMs localizaram o corpo da vítima parcialmente enterrado. O local foi isolado e a Polícia Civil foi acionada com os peritos.

Devido ao avançado estágio de decomposição do corpo, a vítima só foi identificada no IML (Instituto Médico Legal). Eduarda foi sepultada na manhã desta sexta-feira (29), informou o advogado da família, Willyam Laranjeira.

FAMÍLIA SUSPEITA DE EXECUÇÃO

O advogado explicou que a família acredita que a jovem foi executada, já que ao lado do corpo foram encontrados 18 cartuchos de pistola 9 mm. "Os motivos ainda não foram revelados pela polícia. Tenho uma audiência com o delegado responsável pelo caso marcada para a próxima segunda-feira para acompanhar as investigações", disse.

Laranjeira ressaltou que a família quer justiça pelo caso e pede a ajuda de pessoas que tenham qualquer informação sobre o crime. "Entre em contato com a polícia, é um homicídio brutal e cruel, qualquer informação pode ser relevante".

Ele acrescentou ainda que parentes da vítima suspeitam que ela tenha permanecido em cárcere privado antes de ser executada. "A família está despedaçada, clamando por justiça", lamentou. Eduarda deixa uma filha de 1 ano e 7 meses.

Procurada pela reportagem, a Polícia Civil do Paraná não informou se alguém foi preso ou se a investigação do crime já foi iniciada.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem