Moradores bloqueiam ruas no centro de SP contra possível chegada da cracolândia
Busca Notícias - Seu Portal de Notícias Online | Veja as primeiras Notícias

Moradores bloqueiam ruas no centro de SP contra possível chegada da cracolândia

 


Segundo os moradores, eles viram pela televisão notícias de que o endereço seria o novo ponto da concentração de dependentes químicos, o que gerou a mobilização.

PAULO EDUARDO DIAS
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Moradores de um condomínio residencial no centro de São Paulo se concentraram, na noite desta sexta-feira (11), na esquina entre a alameda Dino Bueno e avenida Duque de Caxias na tentativa de impedir a possível migração de usuários da cracolândia para o local. A manifestação durou cerca de duas horas.

Segundo os moradores, eles viram pela televisão notícias de que o endereço seria o novo ponto da concentração de dependentes químicos, o que gerou a mobilização.
"Quando vimos isso na reportagem, a gente mobilizou os moradores para fechar a Dino Bueno para que aqui eles não voltem", disse a farmacêutica Luciana Lanzillo, 48. A alameda foi um dos endereços mais longevos da cracolândia.

Logo após um grupo de usuários passar pela praça Júlio Prestes em direção ao antigo ponto do fluxo, moradores de condomínios fecharam a avenida Duque de Caxias.

Ônibus e outros veículos tiveram que voltar na contramão. O trânsito estava sendo desviado pela rua Santa Ifigênia.
A SPTtrans, estatal que gerencia o transporte público por ônibus na cidade, afirmou que não havia nenhuma mudança no itinerário dos coletivos que passam pela região por causa do protesto.

Aos gritos de "Fora, cracolândia", o grupo de cerca de cem pessoas caminhou lentamente pela via e fechou a esquina da Duque com a Rio Branco, nos dois sentidos, por cerca de meia hora. Eles fizeram uma espécie de cordão humano bloqueando a via.

O engenheiro Rodrigo Santos, 40 foi atingido por uma pedrada durante o ato. Ele teve um corte perto do olho. Ele disse não saber de onde partiu.

Viaturas da PM e policiais acompanharam a manifestação de longe, apenas observando. Por volta das 20h10, o grupo liberou as vias e encerrou o protesto.
A ação dos moradores aconteceu um dia após comerciantes da rua Santa Ifigênia realizarem um ato conta a presença dos usuários de drogas na rua dos Gusmões, o que estaria afetando as vendas.

"A desculpa dos comerciantes na passeata que eles fizeram ontem [quinta, 10] é que lá é comércio e está sendo prejudicado, que eles [usuários] têm que ir para um lugar onde não atrapalhe o comércio", disse Lanzillo.

"Só que eles têm que ir para um lugar onde não atrapalhe a vida do cidadão. Hoje nós descemos e estamos defendendo o nosso espaço", acrescentou.

MUDANÇA DE LUGAR DO FLUXO DA CRACOLÂNDIA
Por volta das 18h, o entorno da rua dos Gusmões e da praça Júlio Prestes foi bloqueado por carros e motos da Polícia Militar. Os dependentes químicos estavam concentrados na esquina da rua do Triunfo com a rua dos Gusmões.

A sala de imprensa da PM declarou que uma operação foi realizada mais cedo na região em virtude de dependentes químicos estarem impedindo comerciantes da rua Santa Ifigênia de trabalhar, exigindo que eles mantivessem as portas fechadas.
"A polícia falou que eles não vão vir para cá, mas as viaturas estão aqui como se estivesse desviando o fluxo para eles virem. Estamos aguardando até ter uma definição total", afirmou Lanzillo.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem